Deputado Buba Germano destaca avanço da pandemia na PB e alerta gestores e a população - Portal Picuí Hoje

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

test banner ______________________________________________________________test banner

sábado, 13 de março de 2021

Deputado Buba Germano destaca avanço da pandemia na PB e alerta gestores e a população

Assessoria

Através de uma live na última quinta-feira (11), o deputado estadual Buba Germano (PSB) destacou o avanço da pandemia da Covid-19 na Paraíba, apresentou dados e chamou a atenção dos gestores e da população. O parlamentar preside, desde abril do ano passado, a comissão especial de acompanhamento da aplicação dos recursos para o enfrentamento da pandemia, da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Acompanhe também o Portal Picuí Hoje no FacebookInstagram e no Youtube

Buba iniciou lembrando que em dezembro de 2019 a Organização Mundial da Saúde (OMS) já alertava o mundo da possibilidade de uma situação de emergência em saúde pública internacional, pois já tinha conhecimento da covid na China.

“No Brasil, em fevereiro de 2020, o vírus já estava no carnaval do Rio de Janeiro, trazido por turistas e etc. Há época, além do desconhecimento, era impossível se falar em não ter o carnaval”, lembrou.

Ele destacou que, após esse alerta, no dia 20 de março, o presidente da República encaminhou um projeto ao Congresso Nacional solicitando o reconhecimento de estado de calamidade pública em todo o país. “O Congresso, através de um projeto legislativo, reconheceu estado de calamidade pública em todo o país por consequência da pandemia”.

Contudo, Buba revelou que, desde o início, o presidente da República não deu a devida atenção à pandemia. “Primeiro, ele menospreza a ciência, confunde a população com informações falsas, trocou três, quatro vezes de ministro no início da pandemia. Isso foi crucial. E depois ficou com esse bate boca com governadores, gestores e o Supremo Tribunal Federal”.

Para o socialista, a população perdeu o medo do vírus na segunda onda “e foi para as ruas”. “No período eleitoral, por irresponsabilidade de alguns gestores que não respeitaram as decisões da Justiça Eleitoral. Depois da eleição, festa de final de ano, carnaval. E aí está o resultado”.

O socialista voltou a destacar o posicionamento do presidente frente ao problema. Disse que o tema não pode ser politizado e que perdemos muito tempo. “Agora o presidente muda o tom, está usando máscara e começa a acreditar na vacina. Como é que vamos criticar o governador de São Paulo, que pegou o Instituto Butantan e fez uma parceria para gerar a vacina que está salvando vidas? E o presidente era contra. O que precisa é não politizar o tema nem menosprezar a ciência”.

“A sociedade quer resposta da ciência, das secretarias e dos governantes. E não tem outro caminho: isolamento e vacina. A vacina foi gerada por ciência e tecnologia. Não podemos menosprezar a produção científica que nós temos no mundo. O equívoco do Governo Federal foi politizar com o governador de São Paulo quem é o patriarca da vacina”, completou o deputado.

Ao destacar dados da comissão de acompanhamento da doença na Paraíba, Buba revelou que as regiões de João Pessoa e de Campina Grande concentram 55% dos casos do estado. Já com relação ao Curimataú paraibano, sua principal base eleitoral, o deputado diz que a região é responsável por apenas 2% dos casos.

Quando o percentual do seu reduto político é transformado em índice por habitantes, se torna a região com menor incidência no estado. “A que tem mais incidência por mil habitantes é a região de Catolé do Rocha. Ela tem 76 casos para cada 1 mil habitantes. A nossa tem 36,6. A metade”.

Porém, Buba voltou a destacar a evolução da segunda onda a partir de novembro de 2020 e observou que foi a 4ª Região Geoadministrativa, no Curimataú, que registrou o maior crescimento dos casos na Paraíba. “Em novembro, nós tínhamos 1,5 mil casos. Em fevereiro, fomos para 4.360. Nós crescemos 138% em três meses”.

Outro dado importante passado pelo deputado foi com relação às mulheres. De acordo com o presidente da comissão, as mulheres são mais infectadas que os homens. “Na faixa etária de 0 a 10 anos não existe diferença. Como não existe acima dos 70 anos. Mas dos 10 aos 70 anos, em todas essas faixas as mulheres são mais infectadas que os homens”.

Buba pediu a população para apoiar as medidas tomadas pelos gestores. De acordo com ele, “as medidas do governo estão corretas. A Paraíba é um ponto pouco fora dessa curva do cenário nacional, mas é preocupante”.

“No pico da primeira onda, em junho, nós chegamos a 804 óbitos. Começou a cair e em novembro chegamos a 199 óbitos. A partir de dezembro, passou para 357, 410 em janeiro, 417 em fevereiro e já estamos com 240 em 11 dias de março. Isso é preocupante. Não adianta tripudiar em cima de uma coisa que o mundo está discutindo e alertando”.

Buba finalizou que os dados serão apresentados à ALPB e em seguida se tornarão públicos. No Curimataú, o parlamentar deverá realizar uma apresentação do relatório da 4ª região em audiência junto com os presidentes das câmaras municipais.

Essa semana, Buba retomou sua live de prestação de contas do mandato. O encontro, através da página no Facebook, será todas as quintas-feiras, a partir das 19h30.

Nenhum comentário:

Postar um comentário