Oxford se prepara para testar "droga milagrosa" Ivermectina contra Covid-19 - Portal Picuí Hoje

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

test banner ______________________________________________________________test banner

5.3.21

Oxford se prepara para testar "droga milagrosa" Ivermectina contra Covid-19

Portal Picuí Hoje com Página 1 PB

Pesquisadores da Universidade de Oxford estão planejando testar um medicamento que mostrou sinais de redução de mortes por COVID-19 em países em desenvolvimento. O ensaio tem como objetivo encontrar um medicamento que funcione logo após o aparecimento dos sintomas do vírus em um paciente e que seja mais eficaz durante os estágios primários da doença, relatou o jornal britânico The Times.

Acompanhe também o Portal Picuí Hoje no FacebookInstagram e no Youtube

O estudo está avaliando a Ivermectina, um medicamento usado em rebanhos e pessoas infectadas por vermes parasitas, que foi saudado por alguns como uma “droga milagrosa” com potencial para salvar milhares de vidas, acrescentou o relatório.

Outros cientistas disseram que a droga não foi avaliada adequadamente e que a extensão total de sua eficácia ainda não era conhecida. As informações são do Grande Ponto.

“Ele tem propriedades antivirais e anti-inflamatórias potenciais e alguns estudos menores foram conduzidos em países de baixa e média renda, mostrando que acelera a recuperação, reduz a inflamação e reduz a hospitalização”, disse Chris Butler, professor de cuidados primários em Oxford e co-chefe do julgamento do Princípio. “Mas há uma lacuna nos dados. Não houve um julgamento realmente rigoroso”.

O medicamento funciona bloqueando a entrada de uma proteína no núcleo de uma célula, limitando a capacidade de replicação do vírus, e a análise inicial da Organização Mundial de Saúde mostrou sinais promissores.

“Isso pode salvar milhares de vidas por dia”, disse Paul Marik, da Eastern Virginia Medical School. “Os dados são convincentes: no México, Índia e América do Sul, a mortalidade caiu”.

Peter Horby, o professor da Universidade de Oxford que ajudou a configurar os maiores ensaios COVID-19 do Reino Unido, disse este mês que os dados mais recentes foram “interessantes, talvez encorajadores, mas ainda não convincentes”.

A maioria dos avanços nos tratamentos para o coronavírus até agora funcionam em pacientes que já estão sofrendo nos estágios finais da doença, mas Butler e sua equipe esperam encontrar um medicamento que possa impedir que o vírus se alastre em seu hospedeiro.

O ensaio está procurando pessoas com 65 anos ou mais, ou pessoas com mais de 50 anos com problemas de saúde subjacentes, por meio de médicos de clínica geral, online e através do sistema NHS Test and Trace do Reino Unido, disse o The Times.

Nenhum comentário:

Postar um comentário