Cientistas testam medicamento para prolongar a vida de cães idosos - Portal Picuí Hoje

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Post Top Ad

terça-feira 04 2023

Cientistas testam medicamento para prolongar a vida de cães idosos


Atualmente, os cientistas estão conduzindo um projeto chamado Dog Aging Project, que consiste em observar milhares de cães mais velhos para entender se uma droga chamada rapamicina pode ajudá-los a viver mais ou se a droga é pelo menos capaz de manter esses animais saudáveis e em forma à medida que envelhecem.

Os pesquisadores esperam que a rapamicina seja um tipo de pílula antienvelhecimento que pode ajudar não apenas os animais de estimação, mas também as pessoas a viverem de forma mais saudável e com maior expectativa de vida. No experimento, enquanto alguns cães recebem medicação, outros recebem pílulas placebo.

Normalmente, a rapamicina é usada em pacientes que receberam um transplante renal, mas os cientistas já descobriram que a droga também pode ajudar com alguns cânceres resistentes ao tratamento, impedindo que as células cancerígenas se multipliquem. A substância também ajuda a suprimir partes do sistema imunológico e retardar o crescimento do tumor.

Em estudos anteriores, os cientistas também conseguiram provar que a rapamicina pode aumentar a vida útil de moscas-das-frutas, vermes, camundongos e pulgas. Mas, no momento, os efeitos da rapamicina em cães idosos ainda estão sendo estudados.


No momento, nenhum medicamento é aprovado pelo Federal Drug Administration (FDA) — órgão governamental dos EUA que faz o controle dos alimentos (tanto humano como animal), suplementos alimentares, medicamentos (humano e animal), cosméticos, equipamentos médicos, materiais biológicos e produtos derivados do sangue humano — para o envelhecimento em si, portanto, se seu teste for bem-sucedido, pode ser um divisor de águas em uma área totalmente nova de desenvolvimento de medicamentos.

Ciência contra o envelhecimento

A comunidade científica tem se concentrado em uma variedade de maneiras de reduzir o envelhecimento. Em um estudo publicado na revista Nature Communications, os cientistas descreveram um novo método que se concentra nas respostas ao estresse usadas pelas células. Em 2020, os cientistas conseguiram reverter o processo de envelhecimento da célula humana.

Foto: Reprodução/Canva Premium.
Portal Picuí Hoje com Nature via Insider.

Nenhum comentário:

Postar um comentário