Paraíba ocupa grupo de nove estados onde o percentual de pobres é superior a 50% da população - Portal Picuí Hoje

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Post Top Ad

sexta-feira 26 2023

Paraíba ocupa grupo de nove estados onde o percentual de pobres é superior a 50% da população


A Paraíba integra um lamentável grupo de nove estados onde o número de pessoas em situação de pobreza supera a marca de 50% da população. Os dados são do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e mostram que, apesar disso, houve melhora no último ano por causa da ampliação do Auxílio Brasil e a retomada do mercado de trabalho. Segundo o levantamento, a taxa de pobreza caiu no Brasil e nas 27 unidades da federação no ano passado. Mesmo assim, permaneceu acima de 50% em nove estados, distribuídos nas regiões Nordeste e Norte –eram 14 em 2021.

Os nove estados que ainda tiveram taxas de pobreza acima de 50%, mesmo com a redução frente a 2021, foram os seguintes: Maranhão (58,9%), Amazonas (56,7%), Alagoas (56,2%), Paraíba (54,6%), Ceará (53,4%), Pernambuco (53,2%), Acre (52,9%), Bahia (51,6%) e Piauí (50,4%). Outros seis registraram taxas de pobreza acima da média nacional (33%), mas abaixo de 50%. São os casos de Amapá (49,4%), Pará (49,1%), Sergipe (47,9%), Roraima (46,8%), Rio Grande do Norte (46,2%) e Tocantins (35,8%). Todos também ficam nas regiões Norte e Nordeste.

O resultado significa que, nesses nove locais, mais da metade da população ainda era considerada pobre, apesar da melhora dos números em 2022. O estudo foi elaborado a partir de dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) do rendimento de todas as fontes, divulgada neste mês pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa pesquisa do IBGE vai além do mercado de trabalho e também abrange outros tipos de renda, incluindo os benefícios sociais.

O IJSN é vinculado à Secretaria de Economia e Planejamento do Espírito Santo e também coordena o Núcleo Vitória do Observatório das Metrópoles. De acordo com o levantamento, a taxa de pobreza no Brasil caiu do recorde de 38,2% em 2021 para 33% em 2022. O resultado mais recente é o terceiro menor da série histórica, iniciada em 2012, e o mais baixo desde 2020 (32,7%).

Em termos absolutos, o número de pessoas consideradas pobres no país diminuiu de 81,2 milhões em 2021 para 70,7 milhões em 2022. Vem daí a redução de quase 10,5 milhões citada no início deste texto.

Para se ter uma ideia, essa quantia (10,5 milhões) supera a soma das populações estimadas pelo IBGE em 2021 para a cidade do Rio de Janeiro (6,8 milhões) e Brasília (3,1 milhões). (Com informações da Folha de São Paulo)

Foto: Reprodução.
Portal Picuí Hoje com Blog do Suetoni Souto Maior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário