URGENTE: Sargento da PM baleado por filho de 13 anos em Patos está paraplégico - Portal Picuí Hoje

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

test banner ______________________________________________________________test banner

URGENTE: Sargento da PM baleado por filho de 13 anos em Patos está paraplégico

O sargento reformado da Polícia Militar baleado pelo filho de 13 anos nesse último sábado (19), na cidade de Patos, Alto Sertão paraibano, está internado na Área Vermelha do Hospital de Emergência e Trauma da cidade de Campina Grande, Agreste paraibano. 

De acordo com o cirurgião geral do Hospital de Trauma, Caio Guimarães, o pai está paraplégico, mas até o momento não foi feita cirurgia. O menino de 13 anos que também matou a mãe de 47 anos e o irmão de 7 anos a tiros, foi transferido para o Centro Especializado de Reabilitação do município de Sousa, localizado na região do Sertão paraibano.

Ainda conforme o cirurgião geral, apesar de não sentir as pernas, o sargento Benedito que foi baleado no tórax e socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em estado grave ao Hospital Regional de Patos, logo depois transferido para a unidade hospitalar, está sem entubação e consciente e orientado. O caso está sendo avaliado diariamente para novas decisões serem tomadas.
Mãe e irmão morreram na hora. A tragédia chama a atenção do país. Em depoimento, o filho confessou o crime. Ele alegou que vinha sendo pressionado para ter boas notas e sendo proibido de usar o celular para jogar e para conversar com os amigos de escola.

No sábado (19), ao ter mais uma vez o celular apreendido, ele considerou que isso era a "gota d'água".

De acordo com um depoimento prestado na presença de uma advogada e de uma parente, ele declarou que atirou na mãe enquanto ela estava deitada na cama do quarto. Quando o pai voltou da farmácia, ele atirou nele também. Por fim, quando o irmão abraçou o pai, assustado com os tiros, foi baleado pelas costas.

De início, a Polícia Civil da Paraíba (PC-PB) tratou o menino como vítima. Com o desenrolar das investigações, percebeu que ele teria participação nas mortes. Depois de negar o ato infracional num primeiro momento, na delegacia, ele admitiu a autoria do crime.

Marcílio Araújo/Portal Picuí Hoje com informações do G1 PB.