João Azevêdo quer testar 10% da população da Paraíba e identificar casos assintomáticos da Covid-19 - Portal Picuí Hoje

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

sexta-feira, 5 de junho de 2020

João Azevêdo quer testar 10% da população da Paraíba e identificar casos assintomáticos da Covid-19

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania) estabeleceu como meta testar pelo menos 10% da população da Paraíba para o novo coronavírus para identificar a Covid-19 não só os pacientes hospitalizados, mas principalmente nos assintomáticos. A afirmação foi feita em uma coletiva realizada na inauguração do Hospital das Clínicas em Campina Grande, nesta sexta-feira (5), que vai passar a receber pacientes da Covid-19.

Segundo João Azevêdo, a Paraíba vai passar a ser um dos estados que mais vai testar a população para o novo coronavírus. A meta é superar 10% da população do estado, ou seja, aplicar cerca de 400 mil testes, de acordo com estimativa populacional feita pelo IBGE em 2018, que foi de 3,99 milhões de habitantes.

A ampliação das testagens vai se dar também por meio sorteio de casas para aplicação dos testes rápidos. O governo estadual também vai iniciar um levantamento de informações por meio de ligações feitas pela Secretaria de Estado da Saúde e para posteriormente fazer o cruzamento de dados com as pessoas que baixaram o aplicativo sobre o coronavírus na Paraíba, aproximadamente 10 mil pessoas.

“Vamos ter um conjunto de informações, trabalhando sempre baseado na ciência e na pesquisa. A partir daí, vamos ter indicação dos melhores caminhos a tomar nessa doença que a gente pouco conhece ainda”, comentou.

De acordo com o governador da Paraíba, foram distribuídos cerca de 130 mil kits de teste rápido para Covid-19 divididos para todos os 223 municípios paraibanos.

Impacto na economia

Ainda de acordo com João Azevêdo, somente no período da pandemia, aproximadamente de 75 dias, a Paraíba perdeu R$ 210 milhões em receitas. Ele explicou que essa perda gerou um impacto no nível de investimento do estado, que em 2019, segundo ele, foi o sexto maior do Brasil em proporção à receita líquida. Além da queda de investimento, o governo do estado precisa destinar cada vez mais recursos para a área de Saúde.

Um plano para reabertura gradual da economia foi elaborado, pensado a partir de bandeiras a depender do estágio da doença em cada uma das cidades, que vai começar a ser implementado nos próximos dias. “Estamos neste momento realizando reuniões com todos os segmentos produtivos da Paraíba, a partir de uma matriz elaborada na SES. A partir daí o setor econômico montou um plano de retomada baseado em alguns princípios”, explicou.

Para que haja flexibilização, o cidade vai precisar apresentar alguns índices positivos da mitigação da doença, entre os citados pelo governador estão a queda do número de casos por 14 dias consecutivos, leitos disponíveis suficientes para que absorva pacientes em um possível novo pico, níveis de isolamento social que atinja um patamar de controle da transmissibilidade.

Avanço da doença

A Paraíba registrou na quinta-feira mais de 17 mil casos confirmados do coronavírus e atingiu a marca negativa de 438 mortos pela Covid-19. Para ajudar a controlar os casos na região metropolitana de João Pessoa, foi publicado um decreto de isolamento social rígido em 10 cidades da Paraíba.

G1 PB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário