Censura? Prefeito de Picuí tenta calar imprensa e cidadãos - Portal Picuí Hoje - O seu portal de notícias

O PORTAL DE NOTÍCIAS DE PICUÍ E REGIÃO

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Censura? Prefeito de Picuí tenta calar imprensa e cidadãos


Acostumado a ser oposição e uma pedra no calçado dos últimos gestores nos últimos 12 anos, o atual prefeito de Picuí, Seridó paraibano, Olivânio Remígio (PT), ainda não se deu conta de que agora é vidraça, a qual suas pedras tinham mira certa enquanto foi vereador. O petista, que ganhou com discurso manso e muitas promessas, hoje vai a emissora de rádio dar murro em mesa, tentar intimidar populares e até mesmo a imprensa.

Na última quinta-feira (09), Olivânio protagonizou uma das cenas mais torpes do primeiro ano do seu já desacreditado mandato. Na tentativa de esconder a incompetência de quem de tanto bateu e esqueceu de aprender a gerir um município, o mesmo foi a uma emissora de rádio justificar uma dívida com a empresa fornecedora de energia e soltou os cachorros no ar contra tudo e contra todos.

Da sua metralhadora giratória e sem controle, não escapou nem a própria Energisa, que outrora fazia generosas doações para serem investidas em programas sociais do município. O petista não poupou, também, a imprensa. Para Olivânio, tudo o que ele olha tem que refletir seus próprios interesses. Ele não aceita nada que seja oposto. Uma espécie de narcisista.

Com murros na bancada da emissora, esbravejava e dizia que abriria inquérito civil na delegacia contra os parlamentares, a imprensa que noticiou a dívida e a Energisa, numa demonstração clara de desespero e despreparo de quem ainda não aprendeu a ser gestor e não sabe que por ser político está sujeito a ter sua imagem exposta, seja com críticas ou elogios.

Olivânio passou 12 anos repetindo o que lá atrás dizia seus, hoje, aliados. Chamava o atual deputado e então prefeito Buba de coronel e ditador, sem nenhum pudor. De tanto repetir tal acusação, o mesmo não viu suas palavras virarem realidade e acabou tomando o choro e vestindo a carapuça, a qual hoje tem utilidade e ao longo dos anos foi moldada perfeitamente às suas medidas. Nasceu, assim, o Coronel Olivânio.

Redação com Blog do Flávio.