EM RESPOSTA A ADVERSÁRIOS, BUBA DIZ QUE TODO FICHA SUJA QUER ARRUMAR COMPANHEIROS - Portal Picuí Hoje - O seu portal de notícias

O PORTAL DE NOTÍCIAS DE PICUÍ E REGIÃO

sábado, 2 de abril de 2016

EM RESPOSTA A ADVERSÁRIOS, BUBA DIZ QUE TODO FICHA SUJA QUER ARRUMAR COMPANHEIROS

Sábado, 02 de março de 2016

O deputado estadual Buba Germano (PSB) respondeu, durante o seu programa de rádio do último domingo (27), a comentários feitos por adversários políticos, após a veiculação de uma matéria que traz a tona um processo que foi impetrado contra o parlamentar quando o mesmo era prefeito da cidade de Picuí, Seridó paraibano. No início do seu comentário, Buba fez menção a uma publicação feita pelo ex-prefeito de Cuité, Bado Venâncio (PSDB), e disse que “todo ficha suja quer arrumar um companheiro pra perto dele”.

“É um ficha suja, tem inveja porque nunca galgou um posto na Assembleia Legislativa, tem vários processos julgados e condenados e esse [Bado Venâncio] é um dos que posta que ‘nada melhor do que um dia atrás do outro’ e, realmente, nada melhor do que um dia atrás do outro”, rebateu o deputado.

Buba explicou o processo divulgado na semana passada pela imprensa local e compartilhado pelos seus adversários políticos. “Esse processo é da festa de janeiro de 2005, eu tinha 15 dias como prefeito e dei todo o apoio para a realização da festa. Fui denunciado pelos hipócritas que estavam na festa de janeiro esse ano lançando discursos, se solidarizando com a paróquia e nada nunca fizeram pelo povo de Picuí. O denunciante foi o vereador de mandato do PT, as testemunhas eram seu chefe de gabinete, a presidente do partido dele e mais um membro da comissão”, destacou.

O deputado explicou, também, a origem do cheque de R$ 7.125. “Fizeram questão de postar o cheque que a prefeitura pagou a empresa e a empresa doou para a igreja, não foi para a conta de Buba não. A denúncia é que eu tinha feito a festa e cobrado ingresso pra mim, todo mundo sabe que eu seria incapaz disso”, comentou.

O ex-prefeito concluiu explicando o andamento do processo. “Quando perdi o mandato de prefeito a matéria voltou para a primeira instância, quando eu fui eleito deputado tive foro especial novamente aí a matéria volta para o Tribunal de Justiça. Não tem nada de habeas corpus, o advogado apenas tentou, em Brasília, cancelar por decoro de prazo, por falta do auto direito da defesa. Esses oportunistas de plantão não gostam de quem trabalha por Picuí, então eles se sentem orgulhosos quando sai qualquer matéria dessa pra tentar saciar a sua ânsia de querer fazer o mau as pessoas”, finalizou.

Entenda o caso:

A denúncia envolve a gestão do deputado Buba Germano na prefeitura de Picuí durante o ano de 2005. Ele é acusado de desvio de rendas públicas ao pagar à Paróquia de São Sebastião o valor ajustado a título de terceirização da festa do padroeiro. A denúncia chegou a ser recebida em agosto de 2010 pelo pleno do Tribunal de Justiça, quando Buba ainda era prefeito de Picuí. Em 2014, ele foi eleito deputado estadual e voltou a gozar do foro privilegiado.


Flávio Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário